fbpx

Cipó Titica

O Cipó Titica é uma das matérias-primas utilizadas pelos artesãos da etnia Yanomami para a fabricação de cestarias e trançados como a da foto, que se chama Xotehe, confeccionado pelas artesãs da aldeia. É muito resistente e flexível, sendo muito utilizado também para a produção de móveis.

Esse cipó na verdade é uma raiz, com uma fibra longa, clara. A raiz da planta cresce em direção ao solo em busca de água e nutrientes e depois endurecem. Quando é feita a colheita, retira-se essa casca rígida e então a raiz é utilizada para o artesanato. Essa é uma das poucas fontes de renda para quem vive no meio rural da Amazônia.

Confira um pouco mais sobre o processo de extração e beneficiamento das raízes do ‘cipó-titica’:

1. Selecionando e ‘testando’ para ver se o cipó está em boas condições. O teste é feito para conferir se ele quebra facilmente ou não. A raiz é puxada com força e, se não quebrar, é sinal de que dali podem ser extraídos alguns metros de cipó.

2. Depois que o cipó estiver no chão, é hora de eliminar os defeitos, como nós e bifurcações que são grandes problemas. Este trabalho é feito no campo mesmo, sendo necessário apenas um facão como ferramenta.

3. Depois de puxar alguns cipós, eliminar os defeitos e cortar em pedaços menores, o feixe está quase pronto para ser levado para a casa do extrativista. Cada feixe pesa entre 100 e 150 kg, é necessária a ajuda de animais para o transporte.

4. Em casa começa o beneficiamento do cipó, que consiste na retirada da casca mais dura e a apara das pontas para que o feixe fique uniforme. Usa-se uma faca e no fim do dia a ponta dos dedos fica ’em fogo’.

5. Cipós sem casca e secos. O feixe está quase pronto para ser transportado para o comprador na cidade. O cipó é vendido com e sem casca. A negociação é feita em razão do peso e não do comprimento em metros. É comum o extrator deixar o cipó de molho na água no dia anterior ao transporte para a cidade para que ele tenha mais peso na hora da negociação.

6. O comprador do cipó agora vai preparar o mesmo para a confecção de objetos artesanais. A primeira providência é uniformizar o diâmetro do cipó, que é feito passando o mesmo repetidamente em buracos de tamanhos cada vez menores. Vejam que esse instrumento de beneficiamento é muito simples. Uma chapa de ferro com diversos furos feitos com brocas de diferentes diâmetros. No fim do processo, o cipó fica liso pronto para utilização.

7. Agora tudo depende da criatividade do artesão. Paciência conta muito e mãos fortes também. Depois de alguns anos tecendo o cipó, a couro da mão fica grosso por conta da rigidez do material.

Os produtos feitos com Cipó Titica podem ser adquiridos em nossas lojas:

Brasil Presente Guarulhos

Endereço: Aeroporto Internacional de Guarulhos, Terminal 3, Portão 317, Embarque.

Celular/Whatsapp: 11 94540-7910

E-mail: aeroportogru@fuchic.com.br

Fuchic Jardins

Endereço: Alameda Franca, 1.167

Telefone: 11 3085-0434

Celular/Whatsapp: 11 97639-5311

E-mail: jardins@fuchic.com.br

Com informações e fotos de:

http://ambienteacreano.blogspot.com/2008/03/cip-titica.html

#cipótitica #yanomami #fibrasepalhas #cestaria #trançados #amazônia #arteindígena #ArtesanatoBrasileiro #artesanato #ArtePopularBrasileira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Carrinho (0)

Cart is empty Nenhum produto no carrinho.

Fuchic

O Brasil feito a mão





× Como posso te ajudar?